fbpx
Processos de CI – por que mapear e estruturar?

Processos de CI – por que mapear e estruturar?

Isabela Pimentel, consultora em planejamento de comunicação integrada e mestre em mídias digitais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Por Isabela Pimentel, consultora em planejamento de comunicação integrada e mestre em mídias digitais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Já imaginou fazer uma grande viagem sem sequer ter um roteiro ou plano? É impossível, né? Mesmo assim, na área corporativa, devido à falta de cultura de planejamento de comunicação, ainda se pensa que é possível obter resultados sem um trabalho estruturado.

Sabemos muito bem que, antes do plano de CI, precisamos realizar um diagnóstico de comunicação, não somente baseado em auditoria de canais, mas em um olhar para a liderança e cultura organizacional.

O diagnóstico nos gera uma riqueza imensa de dados, mas, de nada basta, se não houver um trabalho de gestão para que a estratégia seja colocada em prática pelas equipes e gestores.

Por isso, cada vez mais se faz necessário pensar no tripé pessoas (cultura), processos e estratégia. Sabe por quais razões?

  1. Não adianta desenvolver uma estratégia de forma unilateral, sem envolver a equipe que irá gerenciá-la, pois não haverá engajamento nem senso de pertencimento;
  2. A estratégia isolada, sem se tornar tangível e clara por meio de fluxos e processos estruturados se tornará confusa e de difícil implementação;
  3. Desconsiderar as pessoas na hora de definir processos inviabiliza a melhor estratégia.

Para desenvolver um maior grau de efetividade no que é planejado, então, é preciso estruturar fluxos e processos de CI.

Os fluxos de comunicação interna consistem na representação de um processo, o que, muitas vezes é feito através de gráficos que ilustram de forma descomplicada a transição de informações entre os elementos que o compõem. Ou seja, representação dos passos necessários para a execução de um processo corporativo.

Também é importante termos processos de CI no cotidiano da equipe, pois eles são sequências de atividades e tarefas ordenadas com o objetivo de se chegar a um resultado esperado (objetivo de comunicação alinhado ao objetivo de negócio).

Trouxemos alguns exemplos de processos de comunicação interna que sua empresa precisa ter:

  1. Relacionamento com áreas-chave;
  2. Gestão do conteúdo;
  3. Posicionamento diante de temas estratégicos.

E como parte desses processos, podemos ter:

  1. Fluxo para aplicação de um briefing para cliente interno;
  2. Fluxo de publicação de conteúdo nos canais internos;
  3. Fluxo de posicionamento proativo na imprensa.

Viu como tudo fica mais próximo e gerenciável quando o estratégico (processo) é ‘transformado’ em um fluxo de trabalho para o cotidiano da equipe?

Os processos ajudarão sua comunicação interna a ter um norte, evitando crises e falhas na gestão. E esses mesmos processos se tornam mais ‘tangíveis’ quando são representados graficamente de forma simplificadas em fluxogramas ou mapas mentais.

Quer ajudar para mapear e estruturar processos de CI? Fale com a Supera!

Olá! Posso ajudar?